Translate / Traduzir

#SenhorEco 5 Anos | Compromisso Ético Com A Realidade Contemporânea

Por definição, cultura é toda forma de intervenção humana na natureza transmitida de geração a geração nas diferentes sociedades; criação exclusiva dos seres humanos, múltipla e variável, no tempo e no espaço, de sociedade para sociedade; e através dela é possível compreender comportamentos sociais e valores cultivados ou mutáveis ao longo da história. 

Logo, a antropogenia - capacidade do homem interferir no ambiente - é fruto da cultura, podendo variar em civilizações distintas que sempre aprendem tudo com seus semelhantes por meio da comunicação oral e escrita e que por questão de sobrevivência também buscam a satisfação das suas necessidades fisiológicas básicas.

Conforme a filosofia contribui para refletir a respeito dos assuntos do nosso tempo, há de se observar a considerável confluência da ética com a moral - esta tão secular quanto às mais antigas sociedades humanas vivendo de forma organizada de acordo com regras estabelecidas culturalmente -; enquanto a moral abrange valores, normas e condutas sociais, a ética consiste no exame dos juízos de valor que qualificam os atos como "bons" ou "maus". 

Diante da complexidade social e biofísica do vasto e grandioso ecossistema que é o planeta, ou da comunidade que habitamos, somos movidos reiteradas vezes a tomar decisões difíceis que têm sérias implicações sobre a vida das pessoas e sobre nossas vidas individuais; decisões estas que não raro suscitam dúvidas em relação ao procedimento moralmente adequado para determinadas circunstâncias.

Os chamados dilemas morais, investigados sob o crivo da ética, fazem parte do nosso cotidiano servindo de balizadores nas diferentes extensões da presença do homem na Terra e provocando importantes debates sobre a relação entre Estado e cidadãos, empresas e sociedade, humanidade e meio ambiente - devido às transformações sociais, políticas, econômicas e culturais ocorridas nas últimas décadas.

No limiar da Era da Informação, eis que surge então o que denomino como compromisso ético com a realidade contemporânea em um mundo regido pelo Homo acceleratus (o homem dos dias atuais estimulado pelas mudanças aceleradas), quando a preocupação com situações que afetam sobremaneira a nossa vida prática torna-se premente.

Direitos humanos, direitos trabalhistas, combate à corrupção, eliminação do trabalho infantil e do trabalho análogo ao escravo, fim da discriminação racial, igualdade de gênero, respeito às diferenças justa distribuição de renda, combate à fome, proteção aos consumidores, direito de ir e vir, acessibilidade digital, preservação ambiental e mitigação das emissões poluentes são algumas das inúmeras conquistas e reivindicações que demonstram uma sociedade mais atenta e exigente junto ao Poder Público e à classe política para o cumprimento de obrigações legais e morais e imposição de modelos éticos de gestão.

Consciente de tudo isso, a responsabilidade, ao ser empregada para o bem, guia as ações de um ou mais indivíduos de modo voluntário no sentido de promover a melhoria da qualidade de vida para o maior número de pessoas, produzindo consequências positivas através do engajamento, da solidariedade e da gratidão.

A teoria do filósofo Immanuel Kant (1724-1804) formula o seguinte pensamento: "Devo proceder sempre de maneira que eu possa querer também que a minha máxima se torne uma lei universal". Ao criar o site SenhorEco.org [fundado em 5 de janeiro de 2013] cujo nome é uma reverência à ecologia terrestre, minha intenção foi difundir o conhecimento científico conciliado à educação ambiental fazendo que haja o aumento da percepção ecológica das pessoas e mudança de postura da sociedade; mas se não é possível mudar o mundo com o conteúdo de uma página virtual, pelo menos sou grato a você que cedeu parte do seu tempo para ler esse artigo e chegou até aqui!





Referências

• ABDALA, Amir. Ética e responsabilidade social. Rio de Janeiro: SESES, 2014.

• LALANDE, André. Vocabulário crítico e técnico de filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 1999.



Por: Gustavo Nobio. O autor é técnico em Meio Ambiente formado pela FUNCEFET (RJ) e voluntarioso promotor da Sustentabilidade; articulista, comunicador ambiental e administrador do site SenhorEco.org.

0 comentários:

Postar um comentário